afastamento no trabalho afastamento no trabalho

Veja as principais causas de afastamento no trabalho e como evitá-las!

4 minutos para ler
Powered by Rock Convert

São inúmeros os motivos que causam o afastamento no trabalho nas empresas do Brasil e do mundo. Mas engana-se quem pensa que apenas os acidentes que acontecem nos ambientes laborais são os responsáveis pela ausência dos colaboradores.

Existem vários outros motivos que acarretam esse problema, trazendo impactos negativos tanto para a empresa quanto para o próprio colaborador. A empresa é prejudicada desde o primeiro dia de ausência, tendo em vista que terá que realocar outro colaborador para exercer a função daquele que se afastou ou, até mesmo, contratar outro profissional, gerando mais custos.

O colaborador, por sua vez, é prejudicado por estar fora do mercado de trabalho, perdendo atualizações importantes para a sua carreira. Além disso, esse tipo de situação pode deixá-lo nervoso e preocupado, o que tende a agravar transtornos mentais.

Veja, agora, quais são as principais causas de afastamento no trabalho, a fim de buscar a prevenção na sua empresa.

Acidentes de trabalho

Entre os acidentes que mais afastam os trabalhadores de seu local laboral, ganham destaque as fraturas. Entre punhos, mãos, pernas, pés e antebraços fraturados, somaram-se quase 63 mil casos em 2017, segundo a Previdência Social.

Para evitar esses tipos de acidente, é fundamental investir em treinamentos da equipe, para que todos possam manusear os equipamentos e trabalhar em seus postos de maneira correta. Além disso, o uso dos EPIs adequados (como botas e luvas) ajuda a evitar quedas, torções e fraturas.

Dor nas costas

De acordo com dados da Previdência, a dorsalgia (mais conhecida como dor nas costas), foi a enfermidade que mais afastou os trabalhadores brasileiros de seus postos no ano de 2017: 83,8 mil profissionais. Na verdade, nos últimos dez anos, essa é a doença que lidera a lista das mais frequentes entre as que tem concedido o auxílio-doença pelo INSS.

Ou seja, é um problema bastante recorrente e que merece total atenção das empresas. A melhor forma de combate ao problema é realmente a prevenção: vale a pena apostar em atitudes que favoreçam a ergonomia da equipe, além de atividades de descanso e que incentivam a boa postura e a saúde.

Transtornos mentais

Vivemos em uma época em que os profissionais, muitas vezes, se sentem pressionados a dar muito de si e oferecer resultados cada vez melhores, afinal, a concorrência no ambiente corporativo tem crescido bastante.

O resultado de tanta pressão são transtornos mentais como a depressão e a ansiedade, vistos como grandes males da nossa sociedade atual. Também de acordo com a Previdência, a depressão afastou mais de 43 mil profissionais em 2017; e os transtornos ansiosos foram responsáveis por mais de 28 mil afastamentos.

Números que fazem as empresas pensarem na urgência de investir na saúde mental de seus colaboradores, não é mesmo? É preciso urgentemente investir na qualidade do ambiente de trabalho, bem como oferecer atividades de relaxamento e bem-estar — focando na equipe e também na saúde do negócio.

LER/DORT

As Lesões por Esforços Repetitivos (também conhecidas por LER) e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (ou DORT) também são grandes responsáveis pelo afastamento de profissionais. Segundo um levantamento recente do Ministério da Saúde, nos últimos dez anos, as duas doenças tiveram um aumento de 184%.

Além de afastarem os colaboradores de seus postos por períodos variáveis, essas enfermidades podem ocasionar incapacidade funcional — o que traz grandes custos às empresas relacionados aos pagamentos de indenizações, tratamentos e processos de reintegração à ocupação após a melhora do colaborador. Valores e problemas que podem ser evitados com o investimento em qualidade de vida e ergonomia no trabalho, por exemplo.

O afastamento no trabalho traz um prejuízo de milhões de reais às empresas brasileiras, mas, mais do que isso, compromete o que o mercado de trabalho tem de mais valioso: o seu capital humano. É preciso rever o ambiente de trabalho, as condutas e oferecer ações de promoção à saúde e capacitações relacionadas ao tema.

Quer saber mais sobre o tema e começar a transformação? Veja, agora mesmo, como é feita a análise ergonômica do trabalho.

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário

× WHATSAPP